Já começou o apocalipse?

Foto do Portal terra

Considere por um momento a escalada de violência que vivemos atualmente. São guerras, fome, doenças, perseguição religiosa, deslocamento em massa de milhões de pessoas, atentados terroristas, injustiça social, transformação de degenerados em celebridades, etc.

Vendo este espetáculo de horrores, onde o homem criado à imagem e semelhança de Deus foi rebaixado à condição de subespécie do gênero humano, não há como chegar a outra conclusão senão que vivemos o fim de um ciclo histórico como tantos outros no passado, onde a decadência social pôs fim a várias eras igualmente decadentes. O que difere este dos ciclos anteriores é o fato que este é provocado, e é provocado porque justamente objetiva por fim à sociedade em que vivemos. Na cabeça dos responsáveis pelo que vemos acontecer no presente, a população do mundo deve ser reduzida para 1 bilhão de pessoas.

Sempre existiram degenerados em todas as épocas da história humana, mas quando a sociedade deixa de combate-los, ou mais precisamente, consente com a sua existência, o mal se multiplica e as coisas saem de controle. O momento que vivemos demanda uma atitude, se a sociedade não a toma, ela virá  da parte de Deus.

Não pode haver dúvida. Vivemos no tempo preconizado pelos quatro cavaleiros do apocalipse, que em termos práticos, começou há muito tempo.

Em conjunto, estes cavaleiros revelam a história da chegada de uma primeira onda de violência que se fará sentir sobre o todo o mundo. Esta onda trará para perto da maioria das pessoas aquilo que já acontece esporadicamente aqui e ali, guerras e mortandade, coisas que a maioria só vê pelo noticiário, mas que agora acontecerão no quintal de suas casas, ou ao vivo pela TV, se estiverem distantes da linha de conflito. Esta onda retrata um mundo envolvido num ciclo de guerras em que irá perecer a quarta parte da população da terra, ou seja, nos números de hoje, morrerão quase dois bilhões de pessoas.

Quando observados os quatro cavaleiros individualmente, nota-se que um é consequência do outro, e os três últimos, consequência do primeiro.

O primeiro cavaleiro (Ap 6:2) representa o último império a emergir na terra antes da volta do Senhor. O esforço para estabelecer este império revela os três outros cavaleiros, a saber, a guerra  (Ap 6:4); a fome  (Ap 6:5); e a morte (Ap 6:8), a quem foi dado poder “para matar a quarta parte da terra, com espada, e com fome, e com peste, e com as feras da terra.”.

Sem considerar no momento quem é quem, a pergunta que devemos repetir até cair a ficha é esta: Já começou o apocalipse? A resposta é afirmativa. Estamos vivendo a sequência dos eventos descritos por Jesus como as dores do parto, onde conforme se aproxima o dia do Senhor, tudo só faz piorar.

Mas quem assistir o Jornal Nacional desta noite, ou mesmo os noticiários da Fox News, ou CNN, ou qualquer outro destes gigantes da comunicação vai ter uma percepção diferente, tão diferente que lhes parecerá que o mundo até melhorou de ontem para hoje.

A pauta dos jornais não é feita por jornalistas, e sim pelos donos destes complexos de informação, o que por si só já é razão suficiente para que você pesquise um meio seguro de estar informado, sobretudo no Brasil e demais países em desenvolvimento, o que não vai acontecer se continuar assistindo ou lendo gente compromissada com a mentira. Há muito dinheiro envolvido em tudo isto. No caso específico do Brasil a coisa é triste, porque sendo um país que não é levado em conta no contexto internacional,  cuja opinião não interessa, o noticiário das TVs beira a insanidade.

No mundo real há uma escalada de violência em todos os cantos: Iraque, Síria, Líbia, Somália, Iémen, Nigéria, Afeganistão, Sudão do Sul, Sudão, Paquistão, República Centro Africana, República Democrática do Congo, Ucrânia, Filipinas, Mali, Tailândia, Bangladesh, Birmânia-Mianmar, Egito, Argélia, Angola, Burundi, Chade, Camarões, Eritreia, Etiópia, Quênia, Mauritânia, Ruanda, Senegal, Tunísia, Uganda, Índia, Indonésia, Cazaquistão, Quirguizistão, Nepal, Siri Lanka, Tajiquistão, Uzbequistão, Arábia Saudita, Líbano, Israel, Colômbia, entre mais alguns.

Inclua-se no grupo dezenas de casos como o do Rio de Janeiro, que por sua vez vive a mesma realidade da Cidade do México e de tantas outras envolvidas na guerra contra o narcotráfico.

Já vivemos sim em pleno apocalipse. Nos próximos meses e anos as coisas piorarão consideravelmente. Virá a guerra e depois disto virá o tempo de paz profetizado pelo Apóstolo Paulo: “Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão.” (I Tessalonicenses 5:3)

Tudo o que acontecer antes desta paz predita por Paulo terá sido causado pelo homem. Depois disto virá a Grande Tribulação, onde nada, absolutamente nada será causado pelo homem, mas pela manifestação da ira de Deus sobre este mundo pecaminoso.

A ira de Deus virá não só por causa da violência, mas principalmente pela decadência generalizada na vida das pessoas.

É admirável que muitos vejam toda esta imundície que açambarcou o mundo como coisa natural. Não é natural que pessoas morram de fome; nem que milhões não tenham acesso à água potável. Não é natural o terror que espalha bombas onde há concentração de gente, muito menos que uma pessoa gaste toda sua aposentadoria em medicamentos. Não é natural o que está sendo feito contra as crianças, sensualiza-las, dar a elas um suposto direito sobre sua identidade sexual; Não é natural o casamento entre pessoas do mesmo sexo; Não é natural a ganância que motiva a corrupção de políticos e empresários na escala que se vê.

A simples concordância de quem acha normal qualquer destas coisas, que seja a mínima delas, os faz réus no mesmo tribunal que julgará toda esta escória, este subproduto da raça humana. É o que Paulo ensina na Carta aos Romanos: que são dignos de morte não só os que tais coisas praticam, mas também os que consentem que sejam feitas.

Todo este caos que se espalha literalmente por todos os cantos do mundo é proposital, e visa unicamente acobertar a chegada de uma Nova Ordem Mundial. Ninguém ficará fora disto. Serão todos, absolutamente todos, afetados pela consequência do que virá.

Jesus disse uma coisa muito pesada a respeito desta gente: “Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem.” (Mateus 18:7)

Lute para ficar fora disto e não se iluda que sua neutralidade te inocenta de qualquer coisa.

Começou sim o Apocalipse, a há apenas duas opções para todos: ou se arrepender dos pecados e tornar para Cristo, ou aproveitar a vida, conforme sugere o Apóstolo João:

“Quem está sujo, suje-se ainda.” (Apocalipse 22:11)

Cronologia da Bíblia

Portalg14

Facebook Comments

Deixe uma resposta