Plenário_do_Congresso_(16468294340)
Plenário do Senado durante sessão solene do Congresso Nacional destinada à promulgação da Emenda Constitucional 85/2015, que altera e adiciona dispositivos na Constituição Federal para atualizar o tratamento das atividades de ciência, tecnologia e inovação. Em pronunciamento, deputado Waldir Maranhão (PP-MA). Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Ações judiciais

Prestações de contas rejeitadas

Waldir teve rejeitada a prestação de contas no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão referente às eleições para deputado federal por recebimento de recurso de fonte não identificada. Recorreu da decisão, mas perdeu.[13]

Captação ilícita de recursos

Ainda no TRE-MA, o deputado responde a uma representação movida pelo Ministério Público Eleitoral por captação ilícita de recursos. O processo corre em sigilo.[13]

Ação Civil Pública

No Tribunal de Justiça do Maranhão, Waldir responde por uma ação civil pública[13] na comarca de São Luís[2] movida pelo Ministério Público Estadual.[13]

Suspeitas de corrupção

Operação Miqueias

A revista Isto É publicou sobre dois inquéritos enfrentados por Waldir Maranhão no Supremo Tribunal Federal, ambos por suposta prática de crimes de ocultação de bens e desvio de recursos de fundos de pensão que teria movimentado R$ 300 milhões em um ano e meio.[14] [13]

Operação Lava Jato

Waldir Maranhão é investigado pelo Supremo por lavagem de dinheiro e recebimento de propina – repasses mensais entre R$ 30 mil e R$ 150 mil – do doleiro Alberto Youssef, por participação na quadrilha que desviou recursos e fraudou contratos da Petrobras com empreiteiras investigadas na Lava Jato.[15]

https://pt.wikipedia.org/wiki/Waldir_Maranho

Share Button